A Dra. Simrit Parmar é professora associada no departamento de transplante de células-tronco e terapia celular do MD Anderson Cancer Center, Houston, Texas, Estados Unidos.

O trabalho da pesquisadora com o Transplante de Medula Óssea é focado em células T regulatórias, envolvimento na patogênese da doença e prevenção de distúrbios autoimunes, incluindo a doença enxerto contra hospedeiro.

O interesse clínico é o desenvolvimento de programas abrangentes de Amiloidose em colaboração com o departamento de Mieloma.

CTC USP é pioneiro no Transplante de Medula Óssea no Brasil

Considerado o único tratamento capaz de curar a anemia falciforme, o transplante de medula óssea foi incluído no rol de procedimentos cobertos pelo Sistema Único de Saúde (SUS), em julho de 2015.

Parte das evidências científicas que contribuíram para a inclusão do tratamento na rede pública foi produzida em trabalhos realizados no Centro de Terapia Celular (CTC USP).

O procedimento consiste em destruir com o uso de drogas quimioterápicas a medula óssea do paciente, que produz células sanguíneas defeituosas. Em seguida, são infundidas células-tronco da medula de um doador compatível para que seja criada uma nova fábrica de células sanguíneas sadias.