Diretora médica do Institut Curie aborda a terapia CAR-T em aula no Hemocentro RP

A Dra. Marion Alcantara ministra a aula “Improving CAR T cells for primary central nervous system lymphoma”, no dia 18/06, às 13h, no Anfiteatro Vermelho do Hemocentro de Ribeirão Preto.

A professora é especialista sênior em Onco-Hematologia, diretora médica do Institut Curie (França), presidente da Société Française d’Immuno-Thérapie du Cancer (FITC) e co-presidente do FITC Working Group for Adoptive Cell Therapy.

O desenvolvimento de terapias oncológicas inovadoras, personalizadas e sustentáveis é um grande desafio para pesquisadores e médicos. O encontro discute este cenário, onde a terapia com as células CAR-T aponta importantes caminhos no tratamento do câncer.

A participação é gratuita e sem necessidade de inscrições.

Palestra discute o impacto da terapia gênica nas hemoglobinopatias

As hemoglobinopatias são um grupo de doenças que prejudicam o transporte do oxigênio do sistema respiratório até as nossas células. As duas manifestações hereditárias mais comuns são a doença falciforme e a talassemia, com 80% dos casos em países de baixa ou média renda.

O Dr. Vanderson Rocha, docente da Faculdade de Medicina da USP (FMUSP) e pesquisador principal do CTC-USP, aborda o tema com foco no uso da terapia gênica, no quarto encontro da série Por dentro da Pesquisa.

A doença falciforme causa alterações nas hemácias, tornando-as parecidas com uma foice. Os pacientes sofrem com infecções recorrentes que são a maior causa de morbidade, principalmente entre crianças. Na beta-talassemia os portadores apresentam sintomas graves de anemia, dentre eles fraqueza e falta de ar, icterícia e úlceras.

Considerado o único tratamento capaz de curar a doença falciforme, o transplante de medula óssea, com doador compatível, foi incluído no rol de procedimentos cobertos pelo SUS, em julho de 2015. O CTC-USP juntamente com o Hospital das Clínicas de Ribeirão Preto e a Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP-USP) são pioneiros na realização da técnica.

Já a terapia gênica é uma alternativa de tratamento ainda não acessível no Brasil. Nesta modalidade o transplante é autólogo, ou seja, utiliza as células do próprio paciente modificadas geneticamente. O Reino Unido foi o primeiro país a aprovar a edição genética para tratar anemia falciforme e talassemia.

Fique atento às novas edições do Por dentro da Pesquisa! Os vídeos são publicados quinzenalmente, às sextas-feiras, nas mídias sociais do CTC-USP e no canal do YouTube do Hemocentro RP. Confira abaixo!

Reportagem destaca reconhecimento internacional do estudo das células NK no Hemocentro RP

A TV Record Interior destacou as pesquisas realizadas com as células NK (Natural Killer Cells), no Hemocentro de Ribeirão Preto/CTC-USP. A terapia celular é uma abordagem inovadora, ainda em desenvolvimento pré-clínico, que promete inúmeras possibilidades no combate aos cânceres hematológicos, tumores sólidos e infecções virais.

Estudos indicam que o uso de células NK, modificadas pelo vetor CAR, pode produzir menos efeitos colaterais e mais eficácia do que outras imunoterapias, como a terapia com células CAR-T. Dentre as vantagens estão o uso de células de doadores saudáveis, o que permitiria um acesso mais rápido e seguro ao tratamento.

No entanto, a expansão e a modificação genética das células NK ainda são uma tarefa desafiadora!

📺 Saiba mais na reportagem abaixo!

Pesquisa que utiliza tecnologia 3D no estudo da esclerose sistêmica é destaque em congresso internacional

O biólogo Djúlio Zanin foi premiado como um dos melhores pôsteres apresentados no 43º European Workshop for Rheumatology Research (EWRR), realizado de 9 a 11 de maio, em Gênova (Itália). O doutorando atua no Hemocentro de Ribeirão Preto/CTC-USP e está em período sanduíche no Radboud University Medical Center (Holanda).

O trabalho abordou a investigação dos mecanismos imunológicos e moleculares relacionados à comunicação entre macrófagos e fibroblastos utilizando um novo modelo 3D in vitro de pele humana. O pesquisador já havia recebido apoio financeiro da European Alliance of Associations for Rheumatology (EULAR) para comparecer ao evento, pela excelente avaliação do resumo. Clique aqui e leia na página 136.

Desde o mestrado, Zanin investiga o papel de moléculas e células envolvidas no eixo patológico inflamação-fibrose em pessoas com esclerose sistêmica submetidas a transplante autólogo de células-tronco hematopoéticas. No vídeo, ele explica a técnica de engenharia tecidual, desenvolvida em parceria com os holandeses, para recriar em laboratório a pele de pacientes com a doença, o que pode oferecer uma alternativa mais efetiva em relação aos testes em animais.

O tradicional congresso da área de Reumatologia, com interface de Pesquisa Básica, englobou discussões sobre mecanismos fisiopatológicos, biomarcadores e o desenvolvimento de novas abordagens terapêuticas para doenças reumáticas, autoimunes e inflamatórias. Saiba mais detalhes no vídeo abaixo produzido pela TV Hemocentro RP!